Técnica da Natação para Entender Melhor seus Filhos e Alunos

Porque Nadar na Piscina Não É o Mesmo que Nadar no Mar…

Você, que é professor, certamente já passou pela experiência de dar uma aula maravilhosa para uma turma e, em seguida, entrar em outra sala e não ver nada funcionar. E aí você se pergunta: “Onde foi que eu errei! O mesmo método, a mesma aula, a mesma faixa-etária, e uma aula tão diferente?”

Se você é mamãe ou papai, já sabe muito bem que aquilo que funcionou para o primeiro filho as vezes não funciona para o segundo. Desenvolvemos apuradas técnicas para abrir o apetite do filho mais velho, e o segundo come demais. Um gosta de livros, o outro prefere o skate, e por aí vai…

E agora você me pergunta: “Professor, por que isso acontece?”

Ora, a resposta é muito simples: Porque nadar na piscina não é o mesmo que nadar no mar!

A Técnica de Natação e a Metodologia de Ensino

Assim como nadar na piscina é diferente de nadar no mar, ensinar em uma escola, numa determinada turma, é diferente de ensinar em outra.

Você decide aprender a nadar na piscina, e para isso você estuda a mecânica, a respiração e a metodologia dos diferentes nados: crawl, peito, costas… O que era difícil no início, vai ficando mais fácil, e finalmente você já consegue dominar o ambiente sem sofrimento. Ao adquirir este domínio, você ganha segurança, e então parte para o mar!

Entrando no mar, para colocar em prática a sua performance, o que acontece? Você vira a cabeça para respirar, vem a onda e você engole água, muita água, bem salgada, depois a correnteza te puxa. E em menos de 10 minutos, você está exausto. Tudo que você nadou tranquilamente na piscina, já não é capaz de fazer nem a metade no mar.

Na escola, a mesma coisa!

Quando eu planejo uma aula, e vou para uma sala onde as crianças são calmas, e tem um conhecimento prévio de música, tudo flui, tudo funciona super bem, a ponto de nem ver o tempo passar. Ensinar nesta sala de aula é como nadar na piscina.

Convicto deste planejamento, ou desta maneira de nadar, vou então no mesmo dia à outra escola, com crianças da mesma faixa-etária, e tudo sai errado. Nesta outra turma, as crianças são como as ondas do mar, estão revoltas, agitadas, querendo se movimentar, e a minha maneira de nadar não funciona. Assim, depois de 10 minutos engolindo muita água, estou acabado e não aguento mais.

Adaptar-se ao Meio é Essencial!

Finalmente, você descobre que, para ser um bom nadador ou um bom professor, é preciso mudar a maneira de nadar de acordo com a água. Você não pode esperar que o mar vire uma piscina. A mecânica é a mesma, assim como o conteúdo a ser passado é o mesmo, mas devemos nos adequar às novas necessidades.

Então, quando a sala de aula está revolta, você, sentindo a energia de cada criança, passa a respirar junto com ela, propondo brincadeiras que exigem mais energia, inserindo mais movimento, dança.

E aí, sim, você se torna um bom pai, um bom professor e um bom nadador para todas as águas, porque você sabe observar bem onde está nadando!

Se você gostou dessa ideia saborosa não deixe de compartilhar com os amigos e escrever sua dúvida ou comentário aqui embaixo:

Leave A Response

* Denotes Required Field